Cinco deputados estaduais tiveram os celulares clonados na quarta-feira

0

Por Débora Britto e Helena Dias

Quatro parlamentares da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) tiveram os celulares clonados na última quarta-feira (31). Doriel Barros (PT), Jô Cavalcanti (PSOL), Joaquim Lira (PSD), Paulo Dutra (PSB) e Sivaldo Albino (PSB) deram relatos semelhantes sobre o momento em que perceberam que tinham perdido o domínio das suas contas no aplicativo do whatsapp. Na maioria dos casos, vários contatos dos deputados receberam mensagens que pediam um empréstimo em dinheiro que deveria ser depositado ou transferido para uma conta do Banco do Brasil.

O deputado estadual pelo PT, Doriel Barros, utilizou seu aparelho normalmente até o início da noite de ontem. Houve um momento em que o chip ficou fora da área de cobertura e, posteriormente, a conta se tornou comercial (Whatsapp Business). Os registros de mensagens tinham sido apagados e um amigo do parlamentar recebeu um pedido de empréstimo de R$5 mil. Usando a conta de Doriel, se passavam por ele, alegando que o deputado estava com problemas financeiros, precisando do valor determinado.

Depois de participar de um compromisso em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, o deputado prestou um boletim de ocorrência em uma delegacia local. Um novo boletim deve ser registrado na próxima segunda-feira (5), na Delegacia de Crimes Cibernéticos (DCC) do estado. O mesmo procedimento foi feito pelo mandato das Juntas (PSOL). A Marco Zero recebeu a informação de que a codeputada Jô Cavalcanti estava se dirigindo à DCC para registrar um boletim de ocorrência sobre a clonagem do seu chip. Também na noite de ontem, Jô teve dificuldades para utilizar o whatsapp. Contatos da codeputadas receberam mensagens e, pelo jeito de escrever, identificaram que não era ela.

Já no caso do deputado Joaquim Lira (PSD), a clonagem gerou prejuízos maiores. Dois amigos e um funcionário do parlamentar acreditaram no pedido de empréstimo feito em nome de Joaquim, por meio do whatsapp, e fizeram repasses que totalizaram R$25 mil. Joaquim também prestou queixa na DCC e se dirigiu à operadora telefônica do seu chip para tentar resolver a situação. A operadora alegou que a clonagem já foi desfeita, mas o deputado ainda não consegue acessar o seu whatsapp, porque os dados necessários para que ele consiga resgatar a conta foram trocados. Quando o deputado solicita o resgate da conta, os dados do protocolo para resgate não são enviados para o seu endereço de e-mail.

No mesmo modus operandi de golpe financeiro pelo aplicativo Whatsapp, o telefone pessoal do deputado Professor Paulo Dutra (PSB) foi clonado. O parlamentar percebeu na noite de ontem, por volta das 19h. Como se tratava se um número antigo, pouco utilizado, ele bloqueou o chip e não deverá retomar a conta. Até onde a equipe do deputado teve conhecimento, nenhum contato caiu no golpe, mas publicaram uma nota alertando sobre o ocorrido. Ele também registrou queixa na Delegacia de Crimes Cibernéticos.

Sivaldo Albino, do PSB, também teve o celular clonado e perdeu acesso ao próprio telefone e aplicativos de mensagens. Assim que isso aconteceu, diversos contatos do deputado receberam mensagens pedindo quantias no valor de 3 a 5 mil reais.  Segundo o chefe de gabinete do deputado, a clonagem teria acontecido em uma loja no Cabo de Santo Agostinho. O deputado registrou queixa da DCC, que irá investigar as circunstâncias da fraude. O parlamentar já resgatou o número e foi a uma loja da operadora solicitar um novo chip.

Compartilhe:

Sobre o autor

Deixe um comentário