Geraldo exagera ao dizer que número de homicídios no Recife só passou de mil por ano na gestão João Paulo

0

naoebemassimSite“Vou dar um dado aqui estarrecedor, um dado triste, ele foi o único prefeito que viu acontecer mais de mil homicídios aqui na cidade na gestão dele. Chegou a ter 1.400 homicídios na gestão dele. É um dado muito triste para a nossa cidade. Isso acontecia. O Recife era a capital mais violenta na gestão dele e ele lavava as mãos. Fazia de conta que não tinha nada a ver com isso”, Geraldo Julio no debate da TV Clube no dia 23 de outubro.

A violência no Recife ganhou destaque no debate promovido pela TV Clube no domingo (23). Os dois candidatos trocaram acusações sobre o tema. O prefeito Geraldo Julio foi enfático ao dizer que na gestão João Paulo a capital pernambucana era a mais violenta do Brasil, atingindo a marca de 1.400 homicídios em um ano. Segundo Geraldo, João Paulo foi o único prefeito do Recife a presenciar mais de 1 mil homicídios em um ano de gestão.

Truco Eleições 2016 – projeto de fact-checking da Agência Pública em parceria com a Marco Zero Conteúdo em Recife – questionou a assessoria do candidato à reeleição sobre as fontes de informação que basearam a declaração de Geraldo, mas não obteve retorno. O Trucochecou cada um dos dados mencionados pelo pessebista e concluiu que dois estão corretos, mas um deles foi exagerado. Por isso, ele recebe a carta “Não é bem assim”.

Mapa da Violência, coordenado pelo pesquisador Julio Jacobo Waiselfisz, contabiliza a série histórica de homicídios nas capitais brasileiras. Pelo levantamento, em cinco dos oito anos da gestão João Paulo o Recife foi a capital brasileira com o maior número de assassinatos por 100 mil habitantes, com uma média que variou entre 97,2 (2001) a 88,2 (2005). Nos três últimos anos da administração João Paulo o Recife ficou em segundo lugar no ranking, que passou a ser liderado por Maceió.

Esse cenário de alta violência, no entanto, não começou na gestão petista. Em 2000, último ano do então pefelista Roberto Magalhães à frente da Prefeitura, a capital pernambucana já registrava a maior média de homicídios por 100 mil habitantes no Brasil com 97,5.

Geraldo Julio exagerou ao dizer que João Paulo foi o único prefeito do Recife a presenciar mais de 1 mil homicídios durante um ano de governo. Considerando os registros de assassinatos no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do DATASUS, por local de ocorrência, a mesma metodologia de cálculo utilizada no estudo Mapa da Violência, houve mais de 1 mil crimes fatais registrados em cada um dos anos entre 1996 e 2009, portanto todo o período dos mandatos de Roberto Magalhães e João Paulo; e no primeiro ano da administração João da Costa (PT).

SérieHistóricaHomicídios

Destes 14 anos, em 2001 – primeiro ano da primeira gestão João Paulo – houve o maior registro absoluto de assassinatos, com 1.397. Bem próximo dos 1.400 citados no debate por Geraldo Julio. Em outras duas oportunidades os homicídios ficaram próximos deste valor: em 2000 (1.388) e em 2006 (1.374).

(Laércio Portela · Thayná Campos)

 

Compartilhe:

Sobre o autor

É formado em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco. Foi repórter de Polícia do Jornal do Commercio; repórter, editor e colunista de Política do Diário de Pernambuco. Coordenou a área de comunicação social do Ministério da Saúde e ocupou os cargos de diretor de mídia regional e secretário-adjunto de Imprensa da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. É co-autor do livro Vulneráveis – entre a emergência da vida e a incerteza do futuro, Editora Bagaço, 2015.

Deixe um comentário