Marco Zero integra projeto Usina de Valores do Instituto Vladimir Herzog

0

A Marco Zero Conteúdo fechou parceria com o Instituto Vladimir Herzog e vai integrar o projeto Usina de Valores. A iniciativa visa disseminar valores essenciais à promoção de uma cultura de direitos humanos e respeito à democracia no país. Contra a cultura do ódio e a naturalização da violência.

Serão realizados ciclos de formações e conversas presenciais ao longo do ano em eventos programados para São Paulo, Rio de Janeiro e Recife. O objetivo é disseminar os valores da Dignidade Humana, Coexistência na Diferença, Escuta Ativa, Engajamento Político e Bem-viver.

O projeto parte da perspectiva de que para engajar a sociedade nos valores democráticos e de respeito aos direitos humanos “é necessário que trabalhemos pela complementaridade de valores pessoais, coletivos e institucionais e Isto não se dá apenas na construção de consensos, mas também por meio de conflitos, dissensos e lutas”.

Lançamento ao vivo na web

O Usina de Valores será lançado oficialmente nesta quinta-feira (22) em debate transmitido ao vivo pela pagina no facebook do Quebrando o Tabu e retransmitido pela Marco Zero Conteúdo. Entre os temas em pauta, o aumento do discurso de ódio no Brasil, a importância do diálogo entre grupos diferentes e a influência da religião e da comunicação no atual contexto político.

Participarão dessa primeira roda de conversa Nátaly Neri, criadora do canal Afro e Afins no Youtube e estudante de sociologia; Maria Clara Araújo, estudante de pedagogia e idealizadora do projeto Pedagogia da Travestilidade; Rodilso Pacheco, teólogo e autor do livro Ocupar, Resistir, Subverter: Igreja e Teologia em Tempos de Violência; Antônio Junião, cartunista e jornalista integrante do site Ponte Jornalismo; e Henrique Vieira, teólogo, ator e colunista do Mídia Ninja. A mediação será da jornalista Flávia Oliveira.

Parceiros no Rio, em São Paulo e Recife

O Usina de Valores conta com parceiros locais atuantes como o Periferia em Movimento (SP), o Coletivo Papo Reto (RJ), a Marco Zero Conteúdo e a Rede Nacional de Feministas Antiproibicionistas (Recife). O trabalho com articuladores locais, já familiarizados com territórios e temas do projeto é prioridade.

“A meta é interagir com pessoas presencialmente nas três cidades envolvidas e gerar engajamento através dos canais digitais, alimentando um conjunto estratégico de pessoas que influenciam positivamente a disputa de valores”, diz o documento de apresentação do projeto, que realizará cursos, oficinas e eventos nas três capitais.

Cursos

Inspirar a reflexão, qualificar a atuação em diferentes frentes e incentivar a disseminação e a disputa de valores de forma consistente, construindo uma cultura de escuta e diálogo contra as manifestações de ódio.

Oficinas

Oferecer aos participantes ferramentas de comunicação e cultura para instigar diferentes linguagens e narrativas, jornalísticas e artísticas, que são aliadas nos processos de transformação, engajamento e intervenção social.

Eventos

Criar espaços para a troca de experiências e perspectivas, abordando temas atuais e relevantes às especificidades de cada território.

Mais detalhes sobre o projeto e os conteúdos que serão desenvolvidos ao longo de 2018 podem ser consultados no site oficial do Usina de Valores. E nas redes sociais do projeto:

 

 

Compartilhe:

Sobre o autor

É formado em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco. Foi repórter de Polícia do Jornal do Commercio; repórter, editor e colunista de Política do Diário de Pernambuco. Coordenou a área de comunicação social do Ministério da Saúde e ocupou os cargos de diretor de mídia regional e secretário-adjunto de Imprensa da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. É co-autor do livro Vulneráveis – entre a emergência da vida e a incerteza do futuro, Editora Bagaço, 2015.

Deixe um comentário