Adalgisas e Truco: confira as novidades da Marco Zero para as eleições 2018

0

A partir desta terça-feira (21), você poderá ler notícias, entrevistas, reportagens e análises políticas de uma forma que não estamos acostumados: as mulheres como protagonistas. A Marco Zero foi bem-sucedida no financiamento coletivo do projeto Adalgisas e a ideia é de que, até o final de outubro, possamos oferecer um panorama do que foram essas eleições para as mulheres em Pernambuco. Ao lado o Adalgisas, a cobertura especial das eleições 2018 da Marco Zero ainda conta com o Truco, projeto de checagem das declarações dos candidatos a governador, iniciado na segunda-feira (13).

Para dar conta de tanto trabalho, a Marco Zero reforçou a equipe com a contratação de mais três jornalistas e uma estagiária. Clara Guedes,  Maria Carolina Santos, Raissa Ebrahim e Helena Dias trabalharão nos dois projetos e se juntam aos outros seis profissionais da Casa na cobertura das eleições 2018.

O projeto Adalgisas nasce para contribuir com a solução de uma distorção que compromete a democracia brasileira. A desigualdade entre os gêneros na política é gritante, ainda mais quando consideramos que as mulheres formam a maioria da população. Para ser mais precisa: apenas 54 das 513 vagas (10,7%) na Câmara Federal são ocupadas por mulheres e 13 dos 81 (16%) assentos no Senado. Trazendo para Pernambuco, a situação segue desigual: a Assembleia Legislativa de Pernambuco tem apenas seis de suas 49 vagas (12,2%) ocupadas por mulheres.

São lentos os passos para que a paridade seja um dia alcançada. Reassegurada com a minirreforma de 2009, a reserva de gênero de 30%  das candidaturas pouco mudou o quadro de eleitos. Nestas eleições, porém, há uma mudança que pode ajudar a fortalecer as candidaturas femininas: pelo menos 30% dos dois fundos públicos, o partidário e o eleitoral, terão que ser investidos nelas.

Para acompanhar essas eleições com foco nas mulheres, estamos montando um mapa com os nomes e as principais propostas das candidatas ao executivo e ao legislativo. Vamos também publicar entrevistas e reportagens com especialistas em diversas áreas, representantes de movimentos sociais e candidatas.

Com o dinheiro coletivamente arrecadado, também iremos fiscalizar a distribuição dos recursos do Fundo Eleitoral e do Fundo Partidário entre as mulheres.

O Observatório da Mídia da Universidade Federal de Pernambuco é nosso parceiro e juntos vamos monitorar a participação das mulheres na propaganda eleitoral e também nos três principais jornais impressos do Estado (Folha de Pernambuco, Jornal do Commercio e Diario de Pernambuco). Também iremos promover um seminário para discutir as eleições.

Se você é candidata e quer mostrar suas propostas para a Marco Zero, entre em contato conosco pelo email projetoadalgisas@gmail.com. Se você é leitora/leitor, pode nos enviar sugestões e críticas pelo mesmo email.

Eles falam, nós checamos

O Truco Eleições 2018 é realizado em parceria com a Agência Pública. Em Pernambuco, a Marco Zero é a única organização jornalística a participar do projeto que este ano envolve 31 jornalistas em sete estados brasileiros.

Esta é a segunda vez que a Marco Zero marca presença no Truco Eleições, que integra a Internacional Fact-Cheching Network (IFCN), rede do Instituto Poynter (EUA). A primeira foi em 2016, quando projetos de checagem ainda eram raros no Brasil e pouco se falava sobre as fake news (notícias falsas). Na época foram realizadas mais de 70 checagens durante as eleições da prefeitura do Recife. Com o aumento da circulação de notícias falsas na internet desde então, esse trabalho jornalístico cresce em relevância por ajudar a qualificar o debate político e os eleitores a decidirem sobre o voto.

Há dois anos, quando a Marco Zero participou do Truco nas eleições de 2016, checar declarações de candidatos ainda era uma novidade. Graças à parceria com a Agência Pública, fomos a primeira organização a realizar um trabalho deste tipo aqui em Pernambuco”, lembra Sérgio Miguel Buarque, coordenador executivo da Marco Zero Conteúdo e um dos coordenadores do Truco em Pernambuco.

As checagens são diárias. É um trabalho é intenso que envolve pesquisas em bancos de dados, consulta a especialistas e rastreamento de documentos. A partir da aplicação da metodologia do Truco, que tem o compromisso de  ser apartidária, transparente e de seguir uma política de correções, as declarações dos políticos são classificadas em cartas, assim como o jogo de mesmo nome. As falas podem ser consideradas verdadeiras; falsas; sem contexto; discutíveis; exagerado; subestimado e impossível de provar.

O grande diferencial do Truco é levar as checagens para o âmbito local com equipes locais, mas que trabalham de forma coordenada e em rede. Dessa forma, podemos trocar experiências e informações. Além disso, conseguimos amplificar a força das nossas checagens já que elas são publicadas em um site de alcance nacional e replicadas nas redes dos demais parceiros”, considera Sérgio Miguel Buarque.

Compartilhe:

Sobre o autor

Deixe um comentário