Geraldo omite redução de mortes nos morros do Recife durante gestões do PT

0

naoebemassimSite“Do jeito que ele fala parece que ele resolveu tudo. Eu queria trazer aqui um outro dado, que infelizmente eu sou obrigado aqui a trazer. Ele coloca aqui tudo como se fosse às mil maravilhas, infelizmente, gente, na gestão do PT a gente teve 24 mortos nos morros da cidade. É um dado triste que eu preferia não registrar aqui. Faço isso só para trazer a verdade,” Geraldo Julio no debate da TV Clube, no dia 23 de setembro.  

O debate da TV Clube com os candidatos à Prefeitura do Recife levantou diversos temas importantes, dentre eles a questão dos morros. O candidato à reeleição Geraldo Julio, na ocasião, afirmou que durante a gestão petista no Recife morreram 24 pessoas nos morros da capital. De acordo com a assessoria de Geraldo, o dado foi colhido em pesquisas feitas nos jornais da época. A equipe do Truco Eleições 2016 – projeto de fact-checking da Agência Pública em parceria com a Marco Zero no Recife – checou o dado e verificou que a declaração está distorcida.  Por isso, Geraldo Julio recebe a carta “Não é bem assim”.

Levantamento feito pelo Truco mostra que o número de mortes entre 2001 e 2012, período de gestão do PT no Recife, foi ainda maior do que o apresentado pelo candidato do PSB. Em matéria publicada no site da própria Prefeitura no dia 20 de setembro de 2012, portanto ainda na gestão de João da Costa (PT), a então secretária de Controle e Desenvolvimento Urbano e Obras, Maria José De Biase, divulgou que neste período ocorreram 28 óbitos.

O problema da declaração de Geraldo Julio é que ela, além de imprecisa, está totalmente descontextualizada. O primeiro ponto omitido pelo candidato do PSB é que no período das gestões do PT (2001 a 2012) houve uma redução significativa das mortes causadas pelas chuvas nos morros do Recife. Werônica Meira de Souza, no extenso estudo “Impactos Socioeconômicos e Ambientais dos Desastres Associados às Chuvas na Cidade do Recife/PE”, publicado em junho de 2011, analisou as mortes ocorridas entre 1984 e 2008.

Em termos de comparação, nos 12 anos anteriores às gestões petistas ocorreram 77 mortes nos morros do Recife por conta das chuvas. Isso significa uma redução de 63% no número de óbitos. Quando o recorte é feito levando em conta apenas os oito anos de João Paulo à frente da Prefeitura, com os oito anos anteriores, a redução chega a 87%.

Esse, por sinal, é outro ponto fora de contexto na fala do candidato do PSB. Geraldo não distingue o período de João Paulo (2001 a 2008), seu adversário na disputa eleitoral, dos quatro anos de João da Costa (2009 a 2012). Isso, do ponto de vista estatístico, é bastante significativo. Das 28 mortes ocorridas naqueles 12 anos, oito foram na gestão João Paulo (média de uma por ano) e vinte na de João da Costa (média de 5 por ano)

Segundo pesquisou Werônica Meira de Souza, a diminuição dos óbitos deve-se em grande parte ao Programa Guarda-Chuva, criado pela Prefeitura do Recife em 2001 com o objetivo de monitorar áreas de risco nos morros. Ela escreve que “apesar do acentuado número de vítimas, nota-se uma tendência de diminuição de óbitos ao longo dos anos, mesmo com o elevado número de desastres, resultado da gestão de risco a desastres, especialmente a partir de 2001, com a implantação de um novo modelo de Defesa Civil, com o Programa Guarda-Chuva, tendo como estrutura básica a CODECIR e agregando um grande número de parceiros entre os órgãos municipais, articulados com órgãos estaduais e federais”.

(Thayná Campos)

 

Compartilhe:

Sobre o autor

Deixe um comentário