Checamos oito frases de Armando e Paulo no debate da TV Globo

0

Por Helena Dias, Mariama Correia e Raíssa Ebrahim

Nesta semana pré-eleição, o Truco nos Estados – projeto de checagem de fatos da Agência Pública, feito em Pernambuco em parceria com a Marco Zero Conteúdo – intensificou o ritmo das checagens e conferiu a veracidade de oito frases de Armando Monteiro Neto (PTB) e Paulo Câmara (PSB) ditas no debate da TV Globo da última terça-feira (2).

São quatro declarações de cada candidato sobre educação, desemprego, contas públicas e mortalidade infantil, às quais atribuímos selos como VERDADEIRO, FALSO, SEM CONTEXTO E IMPOSSÍVEL DE PROVAR. Alguns desses dados vêm sendo citados pelos candidatos desde o começo da campanha e o Truco já analisou anteriormente, você pode ler estas checagens na íntegra através dos links disponíveis ao final dos textos.

Confira:

ARMANDO MONTEIRO

verdadeiroverdadeiroverdadeiroverdadeiro“Pernambuco já ultrapassou o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) no que diz respeito a gasto com pessoal” - VERDADEIRO

Os dados conferem com o  Relatório de Gestão Fiscal Execução Orçamentária publicado no dia 30 de janeiro de 2018, no Diário Oficial do estado. O documento fiscal traz um demonstrativo das despesas com pessoal no ano passado. Em 2017, as despesas totais com pessoal representaram 48,97% da receita estadual. O limite prudencial estabelecido pela LRF é de 46,55%. Ou seja, no ano passado Pernambuco ficou bem acima do limite prudencial. Quando o governo extrapola esse limite, fica sujeito a algumas sanções, entre elas são vetadas criações de novos cargos, concessão de aumentos salariais, entre outros.

Se extrapolar o limite máximo, de 49%, fica também proibido de contratar novas operações de crédito. De acordo com o relatório, Pernambuco estava apenas 0,03 pontos percentuais do limite máximo, que é o limite legal citado pelo candidato.

Leia a checagem relacionada a este dado

falso (1)“A mortalidade infantil aumentou” - FALSO

Entre 2015 e 2016, a Taxa de Mortalidade Infantil (TMI) em Pernambuco – assim como na média nacional – apresentou um aumento, num movimento contrário ao que vinha sendo registrado desde 1990, quando teve início a série histórica do Ministério da Saúde (MS).

No entanto, ela voltou a cair em 2017, atingindo o menor nível da história no estado.

Pernambuco fechou 2017 com uma TMI de 13,7%, segundo nota técnica do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde de Pernambuco (Cievs/PE), unidade da Rede Nacional de Monitoramento e Respostas às Emergências em Saúde Pública, publicada em 3 de agosto.

Leia a checagem relacionada a este dado

 

falso (1)“Pernambuco tem uma taxa (de desemprego) que é bem maior que a taxa do Nordeste. O Nordeste é de 13,4% e Pernambuco é quase 18%” – FALSO

A taxa de desemprego de Pernambuco é maior que a do Nordeste, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua Trimestral, do IBGE. Mas a informação mais atualizada mostra que, no segundo trimestre deste ano, a taxa de desocupação foi de 16,9% no estado e de 14,8% na média nacional. A Pnad Trimestral revela o cenário por região e por unidades da federação. Já a mensal, apenas o dado nacional. O candidato do PTB, portanto, errou nos números. O selo atribuído pelo Truco nos Estados é “Falso”.

sem contexto“No Saeb e no Ideb, as últimas avaliações de Pernambuco foram muito ruins no Ensino Fundamental. Pernambuco ficou em 20º lugar.” - SEM CONTEXTO

Conferindo os dados do Ideb do 5º ano, ou seja, recortando os anos finais do ensino fundamental, a afirmação de que Pernambuco ficou em 20º lugar é verdadeira. Acontece que, o Ensino Fundamental também recebe uma nota pela avaliação do 9º ano, fator que ficou de fora da declaração do candidato. Quando esta nota é levada em conta, Pernambuco está na 18º posição no ranking brasileiro e não na 20º como afirmou Armando. O Ideb é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep e a Prova Brasil. Ele combina o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações para estabelecer as notas.

 

PAULO CÂMARA

sem contextosem contexto“Temos muito orgulho de termos a menor taxa de abandono do Brasil” - SEM CONTEXTO

De acordo com a secretaria de Educação de Pernambuco, a rede estadual de ensino inclui atualmente 163 escolas nos anos iniciais – do 1º ao 5º ano – e 457 escolas a partir do 6º ano. Embora no fundamental Pernambuco tenha de fato apresentado uma taxa de abandono escolar da rede pública estadual de 1%, (1 a cada 100 considerando que as taxas de aprovação, reprovação e abandono sempre resultam em 100%, de acordo com a metodologia aplicada pelo levantamento), dado que confere com a citação de Paulo Câmara, o resultado representou a terceira menor taxa de abandono escolar do Brasil, perdendo para Santa Catarina e Mato Grosso.

Já no ensino médio, a rede estadual tem uma taxa de abandono de 1,7%, que ultrapassa em muito a proporção de 1 para 100 alunos informada pelo candidato. Mesmo assim, é a menor taxa de abandono escolar na rede estadual do Brasil. Porém, para afirmar que o estado tem a menor taxa de abandono escolar, como fez o candidato, seria necessário considerar também os dados do Ensino Fundamental mostrados acima.

Leia a checagem relacionada a este dado

impossível provar“70% dos homicídios em PE são causados pelo tráfico de drogas” – IMPOSSÍVEL DE PROVAR

Questionado sobre a segurança pública do estado, Paulo destacou os avanços dos últimos meses de sua gestão na queda mensal de homicídios e crimes contra o patrimônio e enfatizou que é preciso combater o crime organizado. Mas o candidato à reeleição pelo PSB deu um dado diferente do mais recente publicado pela Secretaria de Defesa Social.

O levantamento de agosto mostra que 70,38% dos homicídios foram motivados por tráfico de drogas, acerto de contas e outras atividades criminais. O recorte apenas por tráfico não foi divulgado pela SDS nem está disponível no site da pasta.

Em seguida, vêm os conflitos na comunidade (16,03%), os conflitos afetivos ou familiares (exceto feminicídio), com 4,88%, os latrocínios (2,79%) e, por fim, os feminicídios (2,44%).

falso (1)“O maior desemprego [...] que o Brasil teve foi quando você foi ministro (Armando)” – FALSO

Durante o debate da TV Globo, o governador Paulo Câmara (PSB) atacou o principal adversário, Armando Monteiro (PTB), acusando-o de “ministro do desemprego”. No entanto, a frase dita pelo candidato à reeleição não está correta – “O maior desemprego [...] que o Brasil teve foi quando você foi ministro (Armando)”.

A taxa de desocupação, segundo o IBGE, com base na Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), cresceu quando o senador Armando estava à frente do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, entre janeiro de 2015 e maio de 2016. Mas não foram as maiores taxas do Brasil. Em períodos seguintes, a desocupação aumentou.

Tanto a série anual quanto a série mensal mostram isso. A série histórica da Pnad é de 2012 em diante, pois foi quando a pesquisa começou.

Confira o gráfico (em laranja os anos que compreendem a época em que Armando era ministro do governo Dilma):

armando ministro desemprego

falso (1)“Eu tenho muito orgulho de governar o estado e ter colocado Pernambuco com a melhor educação pública do Brasil” – FALSO

É fato que, na avaliação do Ensino Médio do Ideb de 2015, as escolas públicas do estado de Pernambuco conquistaram o primeiro lugar no ranking dos estados ao lado de São Paulo, com uma média de 3,9. A meta estabelecida para o estado naquele ano era de 3,6, ou seja, Pernambuco teve um desempenho acima da meta. Mas a declaração do candidato deixou de fora outros rankings do próprio Ideb 2015, esses relativos ao 5º e ao 9º ano do Ensino Fundamental, que também fazem parte da rede pública estadual de ensino. Nesses resultados, Pernambuco aparece em posição intermediária.

O Ideb é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep e da Prova Brasil. Ele combina o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações para estabelecer as notas.

Leia a checagem relacionada a este dado

 

Compartilhe:

Sobre o autor

Deixe um comentário