Atlas da Violência expõe o extermínio da população jovem e negra no Brasil

0

Mais de 318 mil jovens entre 15 e 29 anos foram assassinados no Brasil entre 2005 e 2015. Os dados do Atlas da Violência 2017, produzido pelo Ipea em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública e divulgado nesta segunda (5), confirmam a denúncia dos movimentos sociais sobre o extermínio da juventude negra nas periferias brasileiras. A cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras.

“Os negros possuem chances 23,5% maiores de serem assassinados em relação a brasileiros de outras raças, já descontado o efeito da idade, escolaridade, do sexo, estado civil e bairro de residência”, diz o documento.

Em 2015, 54,1% das vítimas de homicídio tinham entre 15 e 29 anos. A taxa de homicídios na população jovem brasileira ficou em 60,9 por 100 mil, bem superior à taxa média de homicídios da população brasileira em geral de 28,9 por 100 mil habitantes.

O recorte por raça não só expõe como o crime de homicídio atinge majoritariamente a população negra, ele evidencia também que o crime contra a vida dos negros está crescendo, enquanto a taxa de assassinatos dos brancos cai.

Em 2015, 37,7 negros foram assassinados para cada 100 mil, aumento de 18,2% na década. No mesmo período, houve redução de 12,2% nos homicídios de brancos, com taxa de 15,3 por 100 mil em 2015, menos da metade da taxa de assassinatos de negros.

170605_infografico_atlas_violencia

O Atlas da Violência 2017 analisou dados do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, referentes ao intervalo de 2005 a 2015, e utilizou também informações dos registros policiais publicadas no 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do FBSP.

Os homens são as principais vítimas dessa verdadeira guerra de extermínio que vitima os jovens do nosso país: mais de 92% dos homicídios nesta faixa etária (entre 15 e 29 anos) atingem essa parcela da população. Os dois estados recordistas no assassinato de homens jovens são Alagoas e Sergipe, respectivamente 233 e 230,4 mortes por 100 mil homens jovens registradas em 2015.

O Atlas da Violência 2017 traz dados detalhados de homicídios por regiões, estados e também por municípios, com números absolutos e taxas por 100 mil. Apenas 2% dos municípios brasileiros (111) respondiam, em 2015, por metade dos casos de homicídio no país, e 10% dos municípios (557) concentraram 76,5% do total de mortes.

Leia o documento completo aqui

Compartilhe:

Sobre o autor

É formado em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco. Foi repórter de Polícia do Jornal do Commercio; repórter, editor e colunista de Política do Diário de Pernambuco. Coordenou a área de comunicação social do Ministério da Saúde e ocupou os cargos de diretor de mídia regional e secretário-adjunto de Imprensa da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. É co-autor do livro Vulneráveis – entre a emergência da vida e a incerteza do futuro, Editora Bagaço, 2015.

Deixe um comentário