Pernambuco recebe novo lote da vacina Astrazeneca/Fiocruz
Crédito: Miva Filho/SES-PE

A Folha de S. Paulo trouxe hoje uma reportagem com um levantamento que aponta que pelo menos 26 mil doses vencidas da vacina AstraZeneca foram aplicadas em 1.532 municípios brasileiros. A reportagem levou muita gente a procurar no cartão de vacinação o lote da vacina, para ver se havia recebido uma dose vencida.

Em nota ao jornal paulista, a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo confirmou cerca de 4 mil doses ministradas após validade. Mas é preciso calma. Ao que parece, nem todos os casos do levantamento são realmente de doses vencidas.

Muitas cidades já se manifestaram, afirmando que, na verdade, foram erros de digitação ou atrasos na notificação do sistema do Ministério da Saúde. Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou que entrou em contato com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems-PE) para que os municípios pernambucanos citados na reportagem avaliem os casos, para verificar se a informação procede ou se foi erro de digitação.

A maioria com poucas doses aplicadas fora da validade, como é o caso do Recife, onde consta apenas 2 doses. Em nota, a Secretaria de Saúde do Recife afirmou que nenhuma dose foi aplicada fora do prazo de validade. “As últimas doses do lote 4120Z005, cujo prazo de validade era 14 de abril, mencionado pela reportagem da Folha de São Paulo foram ministradas, na cidade, até o dia 25 de fevereiro. A Secretaria esclarece ainda que houve um erro durante o registro de duas doses no sistema do Ministério da Saúde”.

A prefeitura de Caruaru esclareceu que um dos lotes citados na matéria chegou no município no dia 26 de janeiro. E começaram a ser aplicadas no dia da chegada até 03 de março. O lote venceu no dia 14 de abril. De acordo com a prefeitura, foi um “erro no sistema de informação do Ministério da Saúde, que já está sendo corrigido”.

A prefeitura de Bezerros, no Agreste, também afirmou em nota que se trata de um erro do Ministério da Saúde e que já foi corrigido. “A Secretaria de Saúde de Bezerros informa que recebeu 600 doses do lote de Nº 4120Z005, do imunizante AstraZeneca, em 27 de janeiro de 2021, conforme consta no Sistema do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. A aplicação das doses, desse lote, ocorreu no período entre os dias 28 de janeiro e 01 de março de 2021. Não havendo, portanto, nenhuma dose aplicada após esse período”.

De acordo com o levantamento da Folha, a cidade pernambucana que mais teria aplicado doses vencidas seria Ipojuca, com 279 doses. Em comunicado, a prefeitura afirmou que a reportagem estava errada. Porém, a prefeitura não informou quando as doses foram aplicadas, dizendo apenas que as aplicações foram concluídas “muito anterior ao prazo de validade”. O erro no sistema foi atribuído a um “atraso na digitação das informações”.

Gravatá, Sirinhaém, Rio Formoso, Carnaíba e Rio Formoso também divulgaram notas públicas negando que tenham aplicado doses vencidas. Em Pernambuco, o levantamento da Folha apontou 149 cidades.

A prefeitura de Maringá, que, no levantamento da Folha de S. Paulo é o município que mais aplicou doses vencidas, também afirma que houve erro no sistema do SUS. “O lançamento no Sistema Conect SUS está diferente do dia da aplicação da dose. Isso porque, no começo da vacinação, a transferência de dados demorava a chegar no Ministério da Saúde, levando até dois meses. Portanto, os lotes elencados são do início da vacinação e foram aplicados antes da data do vencimento”, diz trecho da nota de Maringá.

Conselho afirma que sistema tem instabilidade

Em nota, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) afirmou que o assunto será investigado e que não descarta erros, já que o sistema costuma apresentar instabilidade. Confira a nota completa:

  1. Todos os casos sobre aplicação de doses contra a Covid-19 fora do prazo de validade serão investigados;
  2. Não está descartado erro do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações, que desde o início da Campanha de Vacinação apresenta instabilidade no registro dos dados;
  3. O número de casos identificados corresponde a 0,0026% de todas as doses aplicadas no País, sendo necessárias ponderação e investigação quanto à aplicação das doses e preenchimento das informações;
  4. A ação de Estados e Municípios visa dar rápida resposta à sociedade brasileira;
  5. Por fim, ressaltamos que todos os profissionais destacados pelos municípios para aplicação das vacinas adotam as boas práticas de vacinação, dentre as quais, a checagem do prazo de validade.

Como sei se tomei vacina vencida?

Caso tenha mesmo ocorrido aplicação de vacina vencida, a orientação é de que o município faça a busca ativa das pessoas afetadas. “Essa dose não deverá ser considerada válida, sendo recomendada a revacinação do indivíduo com um intervalo de 28 dias após dose anteriormente administrada”, diz a nota da SES-PE.

Para saber se a dose tomada foi aplicada após o vencimento é simples. Primeiro, confira o lote da vacina, que deve constar no cartão de vacinação. Se é um dos lotes problemáticos, veja se a aplicação foi feita antes ou depois da validade, de acordo com o gráfico abaixo. Lembrando que, de acordo com o levantamento da Folha, apenas a vacina da AstraZeneca teria sido aplicada após o prazo. Se foi o seu caso, procure o posto onde recebeu a vacina.

De acordo com a SES-PE, Pernambuco já aplicou mais de 4,2 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. O levantamento aponta possível erro em 1.268 doses, o que representaria 0,02% do total aplicado.