APOIE O JORNALISMO QUE ESTÁ DO SEU LADO

Prefeitura empurra desfile para rua estreita, longe da folia, sem divulgação e irrita carnavalescos

Maria Carolina Santos / 16/02/2023
Foto diurna, com céu nublado, mostra ferragens de palco e arquibancadas móveis ocupam laterais de rua no centro do Recife onde dois carros passam na única faixa disponível para o tráfego.

Era para ser um carnaval de êxtase, pura euforia. A volta depois de uma pandemia, com a alegria vencendo a tristeza, a vida se sobrepondo à morte.  Mas o pré carnaval de muitas agremiações é de apreensão. A Prefeitura do Recife decidiu retirar o tradicional concurso das agremiações dos bairros de São José e Santo Antônio, onde estava há 90 anos, e colocá-lo ao lado do Parque 13 de Maio, na estreita rua João Lira. Com isso, as reclamações de quem faz a cultura popular do carnaval pernambucano, que nunca foram poucas, se multiplicaram.

Para a mestra Joana Cavalcante, do maracatu Encanto do Pina, a retirada da passarela da avenida Nossa Senhora do Carmo foi como perder o chão. “É muito triste. Ali é nosso habitat, os bairros que exalam nossa cultura. Desde sempre foi lá, meu pai saía ali. O novo espaço da passarela é minúsculo”, diz. 

Na escola de samba Galeria do Ritmo a mudança atingiu o bolso: os cinco carros alegóricos simplesmente não passam na rua. Foi necessário pagar R$ 3 mil a mais para que um serralheiro tirasse dois metros de ferragens da largura dos carros – todos manuais, empurrados por foliões da escola. “Fora o que gastamos com material. Tivemos um prejuízo enorme”, lamenta Souza, presidente da escola. 

Com a esperança de levar 1,2 mil integrantes para o carnaval, a Galeria do Ritmo também não deve caber toda no comprimento do espaço reservado na rua. “Quando a passarela acabar, ainda vai ficar metade da escola esperando para entrar”, lamenta Souza Correia. “Estou com 61 anos e nunca vi as agremiações saírem por Santo Amaro. Não tem espaço. Você viu o local para o recuo da bateria? Não tem como colocar mais de 100 homens, com instrumentos, naquele quadradozinho”, reclama. 

Na Gigante do Samba, campeã absoluta do carnaval recifense, o receio é também com o diâmetro da saia da ala das baianas. São saias enormes, armadas, cada uma com seis metros de raio. Na Avenida Nossa Senhora do Carmo, saíam três baianas na fileira horizontal, já apertadinhas. “Vamos ter que adaptar o desfile, talvez sair uma ou duas baianas lado a lado”, diz a vice-presidente da Gigante, Marise Félix.

Com as arquibancadas e camarote já montados, o presidente da Galeria do Ritmo mediu a avenida e deu apenas cinco metros de largura. “Além de ser estreita, tem um asfalto muito ruim, tem boca de lobo. As passistas usam saltos bem altos, podem cair, torcer o tornozelo”, reclama. 

No carnaval deste ano, a prefeitura reajustou entre 40% e 50% os valores de cachês e premiações de concursos. De acordo com a prefeitura, são destinados R$1,3 milhão para dividir entre todas as 206 agremiações. Numa divisão simples, daria apenas 6,3 mil para cada, mas os valores mudam, a depender do tipo de agremiação e do grupo em que ela está. Com custos altíssimos, as escolas de samba estão desaparecendo. Somente a Galeria do Ritmo e a Gigante do Samba desfilam no grupo especial neste ano. “Há falta de compromisso e respeito com quem faz a cultura do carnaval. A prefeitura não faz cultura, quem faz somos nós. Ela dá uns R$ 20 mil de subvenção e estamos gastando mais de R$ 140 mil”, diz Souza. 

Para Marise Félix, ainda é cedo para dizer se a mudança vai prejudicar ou ajudar as escolas de samba. Ela diz que a prefeitura prometeu algumas melhorias com a mudança de espaço, como camarins para que os integrantes das agremiações troquem o figurino, mais banheiros químicos, mais segurança e um posto médico. “No último carnaval uma das nossas integrantes passou mal na avenida e o socorro demorou muito. A ambulância não conseguia chegar lá. É muito importante para gente contar com posto médico”, afirmou. 

Presidente da Associação dos Maracatus Nação de Pernambuco, Fábio Sotero diz que a prefeitura fez reuniões com representantes das agremiações antes da ida para a rua João Lira. “A avenida Nossa Senhora do Carmo tinha muitos problemas. Por conta do Galo da Madrugada, ficava impossível fazer qualquer melhoria ali.  Não teve muito o que fazer, a nossa saída de lá foi conversada várias vezes, mas parte dos maracatus não gostou da mudança, por conta da tradição”, diz.

Às agremiações, funcionários da prefeitura afirmaram que a saída da Nossa Senhora do Carmo foi por conta de uma reivindicação dos comerciantes da área. Há anos eles reclamam que a instalação e retirada das arquibancadas, que dura vários dias, atrapalha o comércio. 

Em nota, a Prefeitura do Recife reiterou que a escolha do novo local contou com a participação de representantes de entidades que lideram as agremiações. “A Prefeitura fez reuniões e uma visita técnica ao local, quando se consolidou a alternativa da rua João Lira como opção apropriada para sediar esta importante atividade do Carnaval do Recife, que também tem sido objeto de uma maior divulgação, dentro da programação do ciclo”.

A nota da prefeitura cita os pontos fortes da nova passarela. “Destacam-se a possibilidade de utilização de uma única via para concentração e desfile, maior facilidade para acesso e saída, considerando transporte público e áreas de estacionamentos. Além disso, as agremiações passarão a contar com nova estrutura para preparação dos brincantes: uma área com dois grandes camarins, espaço interno, climatização e banheiros químicos. A arquibancada, respeitando o desenho, fiações, postes e árvores da via, foi desenhada em blocos, sem que houvesse prejuízo do espaço destinado ao público”.

Local fixo é reivindicação antiga

Há décadas as agremiações têm um sonho: um local fixo, com arquibancada. Em 2019, foi entregue até um projeto para a Prefeitura do Recife, com uma espécie de sambódromo no lugar onde hoje é o camelódromo. “A prefeitura nem levou em consideração, apesar de já ter um plano antigo de retirar o camelódromo da Dantas Barreto”, diz Souza.

Para Fábio Sotero o momento não seria de listar qual rua é melhor ou pior para as agremiações, mas sim de se construir um local próprio. “É inaceitável Recife não ter uma passarela fixa. Além da Dantas Barreto, tem o final da Avenida Sul, que também é propício para isso. Poderia ter entrado como uma das contrapartidas do projeto Novo Recife, no Cais José Estelita. Recife se coloca nessa disputa de ter um dos melhores carnavais do Brasil, mas não tem um local digno para as agremiações desfilarem. Se você for pesquisar, tem estados sem tradição de escola de samba ou agremiações, que têm uma passarela fixa”, afirma.

Com tantas dificuldades para encontrar um local seguro, amplo e bem localizado, houve até a proposta para que o concurso saísse do carnaval e fosse para a semana do pré-carnaval. Isso ajudaria em outro desejo antigo: a cobertura televisiva do evento. “Já conversei com a Globo, mas disseram que no carnaval fica impossível. É muita coisa acontecendo. Na semana pré, teríamos mais visibilidade e talvez desse para ser no Recife Antigo. Mas a maioria das agremiações quis no carnaval”, contou Marise Félix.

Gigantes do Samba desfila na Nossa Senhora do Carmo, em 2017. Crédito: Bruno Campos/PCR

Falta de divulgação afasta o público

A Marco Zero esteve ontem na nova passarela das agremiações, que ainda estava sendo montada na João Lira, aquela rua em frente à Biblioteca Estadual de Pernambuco, colada aos fundos do parque 13 de maio. A passarela tem cerca de 200 metros, não inclui a rua inteira, mas apenas um trecho. 

Para o presidente da Associação dos Maracatus de Baque Solto, Manoelzinho Salustiano, a mudança foi positiva – mas o local dos desfiles não é a discussão mais importante. “Não adianta você estar na avenida Dantas Barreto e não ter divulgação. Você estar na avenida Nossa Senhora do Carmo e não ter divulgação. Isso é o ponto que tem que ser colocado: divulgar o desfile das agremiações carnavalescas. Ali é onde está toda nossa cultura do carnaval. A gente fica preocupado ‘ah, ali não vai dar ninguém’. Claro, ninguém sabe que estamos ali!”, diz.

Apesar da nota citar que o concurso é “objeto de uma maior divulgação”, na prática, não é o que se vê. Na própria rua dos desfiles, a apenas dois dias do início da folia, não havia absolutamente nada indicando o concurso. Nenhum banner, nenhum cartaz, nada avisando da mudança.

Até o início da tarde desta quinta-feira pré-carnaval (16) era impossível encontrar a programação do concurso das agremiações. Saiu por volta das 15h (confira abaixo). Nas redes sociais do prefeito João Campos (PSB) tem Caetano Veloso, tem o Galo da Madrugada, tem Alceu Valença. Nada do concurso. Na conta oficial da Prefeitura do Recife, o caracaxá dos caboclinhos está presente em uma ilustração, mas não se fala dos dois pólos de agremiações.

Outra prova do descaso com o concurso: nem no “listão do carnaval”, que supostamente teria a programação completa, se achava informações sobre o desfile. A prefeitura do Recife informou que deve disponibilizar no site a programação do concurso ainda hoje ou amanhã. 

Mas não é que não haja cultura popular na programação do carnaval do Recife. Há e muita. A programação está repleta de apresentações de caboclinhos, ursos, orquestras de frevo, blocos líricos, afoxés, clubes e troças de frevo, maracatus. Estão lá abrindo o palco todos os dias no Marco Zero, têm espaço na praça do Arsenal e na rua da Moeda, nos polos descentralizados. 

O concurso das agremiações, porém, é o local onde toda a comunidade carnavalesca da cultura popular vai para desfilar pela sua escola de samba, seu maracatu do coração, seu caboclinho, seu clube de frevo. É um local de encontros, de festa, de disputa. O momento pelo qual as agremiações se preparam o ano todo. Há quase um século é assim. 

E também nem todas as agremiações entram na programação do Recife Antigo.

Para as agremiações que fazem parte dos grupos de acesso e do 1 e 2, as dificuldades são ainda maiores. O desfile delas acontece timidamente na avenida do Forte, no Cordeiro. Já houve relatos de assaltos a integrantes das agremiações e até de tiroteio. “Lá tem espaço, mas não tem segurança. Era melhor que nos mudassem para um lugar com mais turistas, mais visibilidade”, diz Taisa Souza, presidente do Caboclinho Potiguares de Goiana. 

Manoelzinho Salustiano reforça que o concurso como um todo precisa ter divulgação.  “O carnaval é uma festa da cultura, das agremiações carnavalescas de Pernambuco. Sem um plano de mídia, sem uma divulgação, o novo espaço no 13 de Maio vai ser uma vergonha. Se botar chamadas, se fizer propaganda, vai dar certo. Tem que haver uma forma de Pernambuco dar protagonismo à cultura popular, porque as pessoas só conhecem o Marco Zero. E isso cabe não só à prefeitura, mas também aos veículos de comunicação”, diz Salustiano.

Local de desfile é estreito, curto e tem até um fiteiro na calçada. Crédito: Arnaldo Sete/MZ Conteúdo

 Carnaval de rua X carnaval de palco

O concurso da agremiações teve início no carnaval de 1935, com a fundação da Federação Carnavalesca de Pernambuco, no ano anterior. Na época, e por várias décadas seguintes, o carnaval do Recife se concentrava na Praça da Independência, na Avenida Guararapes, nas ruas e avenidas dos bairros de São José e Santo Antônio. O Recife Antigo ainda era um bairro portuário. 

“O desfile das agremiações já aconteceu até na Avenida Guararapes, mas onde ficou por mais tempo foi nas Avenidas Dantas Barreto e Nossa Senhora do Carmo. Agora parece que a prefeitura quis enxotar de vez as agremiações e colocou em Santo Amaro, pela primeira vez”, critica o carnavalesco e pesquisador Leonardo Dantas, que foi também responsável por organizar o carnaval do Recife de 1979 a 1983. 

Para ele, o carnaval do Recife é forte pelo frevo. “Mas essa administração já riscou o frevo da programação. Só consigo imaginar que o prefeito João Campos nunca brincou um carnaval de rua. O que tem divulgação e protagonismo são os shows, que podem acontecer em qualquer outra época do ano, mas concentram todos esses shows no carnaval. Pabllo Vittar e João Gomes não têm relação com o frevo, mas estão com shows no palco principal”, reclama. 

O pesquisador afirma que foi na gestão de João Paulo (PT) que o carnaval do Recife virou um carnaval de palco. “Sob o guarda-chuva de multicultural, abriram as porteiras para todo empresário do Brasil querer enfiar um show aqui no carnaval. Os recifenses abriram mão de fazer o passo, de participar da folia, para ser espectador de show no carnaval. Carnaval de rua, frevo, só tem protagonismo agora em Olinda”, afirma. 

A apuração das notas do concurso, com o anúncio das agremiações vencedoras, acontece na quinta-feira (23), na Casa Oito, no Pátio de São Pedro, das 10h às 15h.

Confira a programação completa do concurso de agremiações:

  • AVENIDA DO FORTE (CORDEIRO) – 19/02, DOMINGO, A PARTIR DAS 14H

Grupos de Acesso, Grupos 01 e 02
Troças Carnavalescas Mistas/Clubes Carnavalescos Mistos/Maracatus de Baque Virado

Troças Carnavalescas Mistas – Grupo de Acesso (15’)
– TCM VALE OURO
– TCM BOLACHÃO DE BEBERIBE
– TCM SUELI NO FREVO
– TCM ACORDA BEBERIBE

Troças Carnavalescas Mistas – Grupo 02 (15’)
– TCM FORMIGA SABE QUE ROÇA COME
– TCM O BAGAÇO É MEU
– TCM DESTEMIDO DE CAMPO GRANDE

Troças Carnavalescas Mistas – Grupo 01 (20’)
– TCM BACALHAU EM FOLIA
– TCM BACALHAU DO BECO
– TCM ESTRELA DA TARDE
– TCM TEIMOSO EM FOLIA

Clubes Carnavalescos Mistos – Grupo de Acesso (15’)
– CCM LENHADORES
– CCM LAVADEIRAS DE AREIAS

Clubes Carnavalescos Mistos – Grupo 02 (15’)
– CCM PRATO MISTERIOSO
– CCM PÃO DURO
– CCM GIRAFA EM FOLIA
– CCM LINGUA DE PRATA

Maracatus de Baque Virado – Acesso (20’)
– MBV NAÇÃO TIGRE
– MBV NAÇÃO DE LUANDA
– MBV NAÇÃO SOL BRILHANTE
– MBV NAÇÃO ENCANTO DO DENDÊ

Maracatus de Baque Virado – Grupo 02 (20’)
– MBV ARCOVERDE
– MBV CAMBINDA AFRICANO
– MBV RAÍZES DE ÁFRICA
– MBV LINDA FLOR
– MBV TUPINAMBÁ

Maracatus de Baque Virado – Grupo 01 (30’)
– MBV BAQUE FORTE
– MBV ESTRELA DALVA
– MBV OXUM MIRIM
– MBV XANGÔ ALAFIN
– MBV GATO PRETO

  • AVENIDA DO FORTE (CORDEIRO) – 20/02, SEGUNDA, A PARTIR DAS 9H

Maracatus de Baque Solto – Grupo de Acesso (15’)
– MBS LEÃOZINHO DAS FLORES DE ITAMBÉM
– MBS LEÃO VENCEDOR DAS FLORES DE BUENOS AIRES
– MBS LEÃO CHARMOSO DE LAGOA DO CARRO
– MBS CAMBINDA NOVA DE NAZARÉ
– MBS ONÇA DOURADA DE ALIANÇA
– MBS LEÃO DA FLORESTA DE LAGOA DE ITAENGA
– MBS ÁGUIA DOURADA DE CARPINA
– MBS GAVIÃO DE OURO DE SÃO LOURENÇO DA MATA
– MBS LEÃO AFRICANO DE NAZARÉ
– MBS LEÃO DA SERRA DE CARPINA
– MBS LEÃO DAS CORDILHEIRAS DE ALIANÇA
– MBS GALO DOURADO DE LAGOA DE ITAENGA
– MBS BEIJA FLOR DE ALIANÇA
– MBS LEÃO FACEIRO DE ARAÇOIABA
– MBS LEÃOZINHO DE UPATININGA
– MBS ESTRELA DA TARDE DE NAZARÉ
– MBS LEÃO DAS CORDILHEIRAS DE GLÓRIA DO GOITÁ
– MBS LEÃO DE OURO DE NAZARÉ
– MBS ESTRELA DA TARDE DO BARRO PRETO
– MBS LEÃO DORADO DE LAGOA DO CARRO

  • AVENIDA DO FORTE (CORDEIRO) – 20/02, SEGUNDA, A PARTIR DAS 16H

Grupos: acesso, 01 e 02
Bois de Carnaval/Tribos de Índios/Clubes de Boneco

Bois de Carnaval – Grupo de Acesso (15’)
– BOI CHIFRE DE OURO
– BOI ESTRELA DOURADA
– ESTRELA DE LIMOEIRO

Bois de Carnaval – Grupo 02 (15’)
– BOI ARCOVERDE
– BOI SORRIZO
– BOI LEÃO
– BOI CRIANÇA
– BOI CHARUTO

Bois de Carnaval – Grupo 01 (20’)
– BOI DE MAINHA
– BOI MISTERIOSO DE LIMOEIRO
– BOI TRELOSO
– BOI MALABÁ
– BOI PAVÃO

Tribos de Índios – Grupo 02 (15’)
– TRIBO INDÍGENA TUPINAMBÁ

Tribos de Índios – Grupo 01 (20’)
– TRIBO INDÍGENA ONÇA NEGRA
– TRIBO INDÍGENA TUPY GUARANY
– TRIBO INDÍGENA TUPINIQUINS

Clubes de Boneco – Grupo de Acesso (15’)
– CB O HOME DO BURITY
– CB BIEL NO FREVO
– CB COSTUREIRA NO FREVO

Clubes de Boneco – Grupo 02 (15’)
– CB O FILHO DO HOMEM DA MEIA NOITE
– CB O SAPATEIRO
– CB O HOMEM DE AMARAJI
– CB BOCHECHUDO DE AREIAS
– CB TÔ AFIM

Clubes de Boneco – Grupo 01 (20’)
– CB O FILHO DO BOCHECHUDO
– CB MECA NO FREVO
– CB DONA XOXÓ
– CB LINGUARUDO DE OURO PRETO
– CB O MENINO DA GRÁFICA

  • AVENIDA DO FORTE (CORDEIRO) – 21/02, TERÇA, A PARTIR DAS 9H

Maracatus de Baque Solto – Grupo 02 (15’)
– MBS LEÃO DA FLORESTA DE VICÊNCIA
– MBS ESTRELA DE OURO DE CONDADO
– MBS LEÃO TEIMOSO DE LAGOA DE ITAENGA
– MBS CAMELO MANSO DO ENGENHO TOMÉ
– MBS CAMBINDINHA DA LAGOA DE LAGOA DE ITAENGA
– MBS ESTRELA BRILHANTE DE CARPINA
– MBS LEÃO DA SERRA DE LAGOA DE ITAENGA
– MBS LEÃO VENCEDOR DE BUENOS AIRES
– MBS LEÃO FORMOSO DE NAZARÉ
– MBS LEÃO MISTERIOSO DE TRACUNHAÉM
– MBS ESTRELA DA SERRA DE TRACUNHAÉM
– MBS CARNEIRO DA SERRA DE GLÓRIA DO GOITÁ
– MBS LEÃO COROADA DE BUENOS AIRES
– MBS CAMBINDA ESTRELA DE ITAQUITINGA
– MBS LEÃO DO NORTE DE GLÓRIA DO GOITA
– MBS ÁGUIA DOURADA DE GLÓRIA DO GOITÁ
– MBS BEIJA FLOR DE NAZARÉ
– MBS ÁGUIA DE OURO DE NAZARÉ
– MBS PAVÃO DOURADO DE CHÃ DE ALEGRIA
– MBS DRAGÃO DEVORADOR DE IGARASSU

  • AVENIDA DO FORTE (CORDEIRO) – 21/02, TERÇA, A PARTIR DAS 16H

Grupos: Acesso, 01 e 02
Ursos (La Ursa)/Caboclinhos/Tribos de Índios

Ursos – Grupo de Acesso (15’)
– URSO POLAR DE AREIAS
– URSO BRANCO DO JORDÃO
– URSO MANHOSO DO ENGENHO DO MEIO
– URSO MIMOSO DE ARCOVERDE
– URSO VELHO DE ANGOLA

Ursos – Grupo 02 (15’)
– URSO TEXACO
– URSO SÃO CRISTÓVÃO

Ursos – Grupo 01 (20’)
– URSO PÉ DE LÃ DO RECIFE
– URSO DO OVÃO
– URSO MILINDROZO DA JOANA BEZERRA
– URSO A LA URSA ROSINHA

Caboclinhos – Grupo de Acesso (15’)
– CABOCLINHOS CARIPÓS MIRIM
– CABOCLINHOS PARANAGUASES
– CABOCLINHOS ÍNDIO BRASILEIRO
– CABOCINHOS FLEXA DOURADA

Caboclinhos – Grupo 02 (15’)
– CABOCLINHOS TUPINAMBÁ DE GOIANA
– CABOCLINHOS TUPI GUARANI DE CAMARGIBE
– CABOCLINHOS 7 FLEXAS
– CABOCLINHOS TAIGUARA
– CABOCLINHOS ÍNDIO TUPI GUARANI
– CABOCLINHOS CAETÉS

Caboclinhos – Grupo 01 (20’)
– CABOCLINHOS OS CARIJÓS DE GOIANA
– CABOCLINHOS CANDIDÉ DE CAVALEIRO
– CABOCLINHOS PENA BRANCA DE GOIANA
– CABOCLINHOS CAETÉS DE GOIANA
– CABOCLINHOS FLEXA NEGRA DA TRIBO TRUKÁ
– CABOCLINHOS POTIGUARES
– CABOCLINHOS CANDIDÉ DE GOIANA
– CABOCLINHOS TAQUARACI

  • RUA JOÃO LYRA (SANTO AMARO) – 19/02, DOMINGO, A PARTIR DAS 14H

Grupo Especial
Troças Carnavalescas Mistas/Clubes Carnavalescos Mistos/Blocos de Pau e Corda/Maracatus de Baque Virado

Grupo 01
Blocos de Pau e Cordas

Troças Carnavalescas – Grupo Especial (25′)
– TCM TÔ CHEGANDO AGORA
– TCM AZULÃO EM FOLIA
– TCM ABANADORES DO ARRUDA
– TCM BATUTAS DE ÁGUA FRIA
– TCM BEIJA FLOR EM FOLIA

Blocos Carnavalescos Mistos – Grupo 02 (25’)
– BCM BATUTAS DE S. JOSÉ

Blocos Carnavalescos Mistos – Grupo Especial (25’)
– BCM COM AMOR A VOCÊ
– BCM MADEIRA DO ROSARINHO
– BCM AMANTE DAS FLORES
– BCM FLOR DA LIRA

Clubes Carnavalescos Mistos – Grupo Especial (25’)
– CCM TRANSPORTE EM FOLIA
– CCM VASSOURINHAS
– CCM DAS PÁS
– CCM GIRASSOL DA BOA VISTA

Maracatus de B. Virado – Grupo Especial (40)
– MBV ALMIRANTE DO FORTE
– MBV AURORA AFRICANA
– MBV ENCANTO DO PINA
– MBV CAMBINDA ESTRELA
– MBV LEÃO DA CAMPINA
– MBV ESTRELA BRILHANTE DO RECIFE
– MBV ENCANTO DA ALEGRIA
– MBV PORTO RICO

[RUA JOÃO LYRA (SANTO AMARO) – 20/02, SEGUNDA, A PARTIR DAS 14H]

Grupos Especial
Bois de Carnaval/Tribos de Índios/Clubes de Boneco/Escolas de Samba

Grupo 01
Clubes Carnavalescos Mistos/Escolas de Samba

Bois de Carnaval – Grupo Especial (25′)
– BOI DOURADO DE LIMOEIRO
– BOI TA TA TA
– BOI FANTÁSTICO
– BOI CARA BRANCA DE LIMOEIRO
– BOI MIMOSO DA BOMBA DO HEMETÉRIO
– BOI MARACATU
– BOI DIAMANTE DE ARCOVERDE

Tribos de Índios – Grupo Especial (25′)
– TRIBO DE ÍNDIOS TABAJARA
– TRIBO DE ÍNDIOS CANINDÉ BRASILEIRO DE ITAQUITINGA
– TRIBO DE ÍNDIOS ORUBÁ
– TRIBO DE ÍNDIOS UBIRAJARA

Clubes Carnavalescos Mistos – Grupo 01 (20’)
– CCM ARRASTA TUDO
– CCM COQUEIRINHO DE BEBERIBE
– CCM BOLA DE OURO
– CCM REIZADO IMPERIAL
– CCM GUAIAMUM NA VARA
– CCM AMANTE DAS FLORES

Clubes de Boneco – Grupo Especial (25)
– CB O GAROTO DA ILHA DO MARUIM
– CB RAISSA NO FREVO
– CB O MENINO DO PÁTIO DE SÃO PEDRO
– CB SEU MALAQUIAS
– CB GAROTA DA ILHA DO MARUIM

Escolas de Samba – Grupo 01 (40’)
– GRES ESTUDANTES DE SÃO JOSÉ
– GRES LIMONIL

Escola de Samba – Grupo Especial (1 hora)
– GRES GIGANTE DO SAMBA
– GRES GALERIA DO RITMO

  • RUA JOÃO LYRA (SANTO AMARO) – 21/02, TERÇA, A PARTIR DAS 9H

Grupo Especial
Ursos (La Ursa)/Maracatus de Baque Solto/Caboclinhos

Grupo 01
Maracatus de Baque Solto

Maracatus de Baque Solto – Grupo 01 (20’)
– MBS ESTRELA DE OURO DE ALIANÇA
– MBS CARNEIRO MANSO DE GLÓRIA DO GOITÁ
– MBS LEÃO FORMOSO DE TRACUNHAÉM
– MBS LEÃO COROADO DE LAGOA DE ITAENGA
– MBS CRUZEIRO DO FORTE DO RECIFE
– MBS ESTRELA DE TRACUNHAÉM
– MBS ÁGUIA FORMOSA DE TRACUNHAÉM
– MBS LEÃO FACEIRO DE NAZARÉ
– MBS ESTRELA BRILHANTE DE NAZARÉ
– MBS LEÃO VENCEDDOR DE CHÃ DE ALEGRIA
– MBS ÁGUIA DOURADA DE NAZARÉ
– MBS LEÃOZINHO DE ALIANÇA
– MBS LEÃO MIMOSO DE UPATININGA
– MBS LEÃO VENCEDOR DE CARPINA
– MBS CAMBINDINHA DE ARAÇOIABA
– LEÃO TEIMOSO DE PAUDALHO

Ursos – Grupo Especial (20′)
– URSO BRANCO DO CANGAÇÁ
– URSO TEIMOSO DA TORRE
– URSO PÉ DE LÃ DE ARCOVERDE
– URSO DA TUA MÃE
– URSO CANGAÇÁ DE ÁGUA FRIA

MBS – Grupo Especial (25′)
– MBS PAVÃO MISTERIOSO DE UPATININGA
– MBS PANTERA NOVA DE ARAÇOIABA
– MBS LEÃO MISTERIOSO DE NAZARÉ
– MBS LEÃO DE OURO DE CONDADO
– MBS ESTRELA DOURADA DE BUENOS AIRES
– MBS ÁGUIA MISTERIOSA DE NAZARÉ
– MBS CAMBINDA BRASILEIRA DE NAZARÉ
– MBS PAVÃO DOURADO DE TRACUNHAÉM
– MBS GAVIÃO DA MATA DE GLÓRIA DO GOITÁ

Caboclinhos – Grupo Especial (25′)
– CABOCLINHOS TAPUIA CANINDÉ
– CABOCLINHOS TAPIRAPÉ
– CABOCLINHOS KAPIAWÁ
– CABOCLINHOS CARIJÓS DO RECIFE
– CABOCLINHOS TUPI
– CABOCLINHOS TUPÃ
– CABOCLINHOS UNIÃO 7 FLECHAS
– CABOCLINHOS TUPINAMBÁ
– CABOCLINHOS TAINÁ

Uma questão importante!

Colocar em prática um projeto jornalístico ousado custa caro. Precisamos do apoio das nossas leitoras e leitores para realizar tudo que planejamos com um mínimo de tranquilidade. Doe para a Marco Zero. É muito fácil. Você pode acessar nossa página de doação ou, se preferir, usar nosso PIX (CNPJ: 28.660.021/0001-52).

Apoie o jornalismo que está do seu lado.

AUTOR
Foto Maria Carolina Santos
Maria Carolina Santos

Jornalista pela UFPE. Fez carreira no Diario de Pernambuco, onde foi de estagiária a editora do site, com passagem pelo caderno de cultura. Contribuiu para veículos como Correio Braziliense, O Globo e Revista Continente. Ávida leitora de romances, gosta de escrever sobre tecnologia, política e cultura. Contato: carolsantos@gmail.com