Bloco-ônibus “Eu Acho é Caro” desfila neste domingo (18)

0

“Bota a planilha no sol, governador” é o tema do protesto que ‘bloco-ônibus’ “Eu Acho é Caro” faz neste domingo (18). A saída será às 8h30, do Trevo de Beberibe (Praça da Convenção) em direção à praia do Pina. O embarque é gratuito.

Crítica à falta de transparência das informações sobre as receitas das empresas de ônibus na Região Metropolitana do Recife, o Carnaval fora de época da agremiação quer relembrar a ação popular movida pela Rede de Articulação pela Mobilidade (RAMO), com assessoria jurídica do Centro Popular de Direitos Humanos (CPDH), movida em janeiro deste ano.  Na época, a RAMO solicitou ao consórcio Grande Recife os documentos que comprovam custos e ganhos das empresas de ônibus fossem divulgados, mas, até agora as informações não foram disponibilizadas.

Na mesma ação, a RAMO também pede as informações sobre contratos das permissionárias do sistema, planilhas analíticas e demonstrativos de fluxo de caixa das operadoras,  os critérios para reajustes  das passagens, entre outras informações. “Várias informações deveriam ser públicas, mas não são, e a sociedade civil precisa saber e ter seus direitos respeitados”, argumenta Thiago Jerohan, um dos organizadores do protesto.

O bloco Eu Acho é Caro foi formado este ano por várias entidades da sociedade civil, entre elas o Movimento RUA – Juventude Anticapitalista, Centro Popular de Direitos Humanos, Grupo Contestação, Coletivo Anarcofestivo Ocupe Estelita, CicloAção, UEP, Ameciclo. Em janeiro passado, a agremiação realizou seu primeiro desfile com o ônibus tarifa zero e, no último Carnaval, saiu no Sábado de Zé Pereira ao lado dos prédios gigantes do bloco Empatando Tua Vista.

 

Compartilhe:

Sobre o autor

Mariama Correia trabalhou por mais de três anos como repórter do caderno de Economia da Folha de Pernambuco. Antes disso, adquiriu ampla experiência atuando como freelancer e em assessorias de imprensa. Tem cursos nas áreas de jornalismo de dados (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), fact-checking e mídias digitais (Kings Brighton).

Deixe um comentário