Protesto fora Bolsonaro em São Paulo
Crédito: Laércio Portela/MZ Conteúdo

A Marco Zero Conteúdo deu um pulo até São Paulo neste sábado (2) para conferir o 6° ato da campanha #ForaBolsonaro na capital paulista. Como aconteceu no Recife, destaque para a diversidade de partidos de esquerda e centro esquerda.

No palco principal, um grande trio elétrico próximo ao prédio do Masp, os discursos de representantes desses partidos, de sindicatos e de movimentos sociais tornavam evidente que, mesmo no campo progressista, a aliança sofre resistência. Embora a maioria dos que discursaram tenha defendido deixar as divergências de lado pela causa maior de tirar Bolsonaro da presidência, alguns pegaram o microfone para, por exemplo, criticar o presidenciável Ciro Gomes (PDT).

Na Avenida Paulista a diversidade deu o ritmo da manifestação com mais de uma dezena de batucadas, grupos de teatro de rua, artistas, juristas pela democracia, petroleiros contra os sucessivos aumentos da gasolina e a privatização da Petrobrás, estudantes universitários e secundaristas e ativistas LGBTQIA+, entre outros manifestantes, portavam cartazes destacando a volta do Brasil ao mapa da fome, o recorde do desmatamento na Amazônia, o extermínio da juventude preta e periférica, os ataques à democracia entre tantas mazelas vividas pelo Brasil sob Bolsonaro.

Dois bonecos infláveis do presidente chamavam a atenção. Um deles no trio do Conlutas mostrava um Bolsonaro com cara de poucos amigos cortando com uma tesoura uma Carteira de Trabalho. Outro, ainda maior, trazia um Bolsonaro vampirizado, com sangue em uma das mãos e uma caixa de remédios, numa referência às mortes causadas pelo tratamento precoce contra a Covid-19.

Em São Paulo, a expectativa é que participem do ato representantes de 21 partidos —Cidadania, DEM, MDB, PC do B, PDT, PL, Podemos, Solidariedade, PSD, PSB, PSDB, PSL, PSOL, PT, PV, Rede, UP, PCB, PSTU, PCO e Novo. Entre as entidades, fazem parte do ato a Central de Movimentos Populares, UNE, MST, MTST, Coalizão Negra por Direitos, Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, movimento Acredito, entre outras.

Também aderiram aos protestos deste sábado as centrais sindicais —CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST, CSB, CSP-Conlutas, Intersindical Central da Classe Trabalhadora, Intersindical Instrumento de Luta e Pública. Era esperada a presença de presidenciáveis e outros políticos de peso para estrear nos atos da Campanha Nacional Fora Bolsonaro depois de terem comparecido ao protesto de MBL e VPR, como Ciro Gomes (PDT), Alessandro Vieira (Cidadania), João Amoêdo (Novo) e Luiz Henrique Mandetta (DEM).