APOIE O JORNALISMO QUE ESTÁ DO SEU LADO

Moradores de Exu estão há mais de um mês sem água da Compesa

Maria Carolina Santos / 28/07/2023

Exu – Por onde se anda em Exu – cidade com 31 mil habitantes, aos pés da Chapada do Araripe – se vê carros-pipa indo e vindo, carroças e pessoas carregando baldes e tonéis com água. Há mais de 35 dias não chega água na torneira de nenhum bairro da cidade. Em algumas partes, a falta d’água já passa de 50 dias. O inverno em Exu foi bom: está tudo verde e o açude na entrada da cidade está cheio. Mas água na torneira não se tem.

Marcos Antônio Gonzaga Júnior, 32 anos, mora em uma casa com uma cisterna de 10 mil litros. “Faz quase 40 dias que não chega água da Compesa aqui em casa e a gente tem usado só essa água, mas já está acabando”, diz o morador de Exu. Não é de hoje que a cidade, conhecida por ser a terra natal de Luiz Gonzaga, passa por situações assim. No ano passado, chegou a ficar mais de 40 dias sem abastecimento em nenhum bairro.

Há pelo menos cinco anos existem denúncias de vazamentos e desvios da água que vai para o município, prejudicando a população. “A água daqui vem do São Francisco por uma adutora que passa em Ouricuri e joga a água para essa área. De Ouricuri para cá, tem desvios de água e a Compesa sabe disso. A água vai para plantações, irrigações e até para encher piscinas”, afirma o biólogo Francisco Gomes, morador de Exu.

“A água chegou aqui em casa no São João e depois nunca mais. Já comprei dois carros-pipa. Mas a conta da Compesa, a taxa mínima de R$ 55, continua chegando em dia”, reclama o biólogo. A situação está tão crítica que está faltando água até para encher os carros-pipa. Muitos estão vendendo água salgada, de cacimbas, por R$ 120. Água potável, quando se encontra, pode ultrapassar os R$ 300.

A prefeitura de Exu informou que já encaminhou vários ofícios para que a Compesa regularize o abastecimento de água no município. Dos 31,7 mil habitantes da cidade, apenas 61% da população é atendida pela Compesa com abastecimento de água, percentual abaixo da média de 83,56% do estado de Pernambuco e 84,2% do Brasil. Mais de 12,3 mil habitantes de Exu não têm acesso à água encanada.

Compesa: hoje começa a regularizar

Em nota à Marco Zero, a Compesa informou que na semana passada identificou dois pontos de vazamento de água na adutora que abastece a cidade de Exu. O último ponto foi consertado ontem, quinta-feira, 27 de julho.

Além dos vazamentos, há ainda um serviço de manutenção que está sendo realizado na estação elevatória 01 (sistema de bombeamento), que fica em Orocó, e integra o Sistema Adutor do Oeste. Por conta dessa manutenção, diz a Compesa, houve a redução de 20% na vazão do sistema, afetando ainda mais o município de Exu.

A Compesa informou que a previsão é que ao longo desta sexta-feira (28) parte da vazão de distribuição seja recuperada. Já a previsão para conclusão dos serviços de manutenção na estação elevatória é somente para o outro sábado, 5 de agosto, “devido à complexidade das intervenções”, diz nota da Compesa.

Nos últimos anos, na maioria dos bairros, dizem os moradores, há água por dois dias, para cada duas semanas sem. A Compesa informou que o abastecimento em Exu e nas cidades vizinhas de Granito, Bodocó e Moreilândia só vai melhorar com a entrega da obra do sistema da Adutora Lopes 2, que está prevista para a primeira quinzena de agosto.

Uma questão importante!Colocar em prática um projeto jornalístico ousado custa caro. Precisamos do apoio das nossas leitoras e leitores para realizar tudo que planejamos com um mínimo de tranquilidade. Doe para a Marco Zero. É muito fácil. Você pode acessar nossapágina de doaçãoou, se preferir, usar nossoPIX (CNPJ: 28.660.021/0001-52).

Apoie o jornalismo que está do seu lado

AUTOR
Foto Maria Carolina Santos
Maria Carolina Santos

Jornalista pela UFPE. Fez carreira no Diario de Pernambuco, onde foi de estagiária a editora do site, com passagem pelo caderno de cultura. Contribuiu para veículos como Correio Braziliense, O Globo e Revista Continente. Ávida leitora de romances, gosta de escrever sobre tecnologia, política e cultura. Contato: carolsantos@gmail.com