Em tempos de desinformação, nunca foi tão importante fortalecer o jornalismo profissional e de qualidade. Pensando nisso, dezoito organizações jornalísticas espalhadas pelo Brasil se juntaram e criaram sua própria campanha no Dia de Doar, neste 1º de dezembro. A data, marcada pela mobilização global, foi escolhida para promover a generosidade e inspirar pessoas a doar para aquilo o que elas acreditam.

A iniciativa inédita, que vai ao ar nas redes sociais do dia 1º a 4 de dezembro, é uma parceria entre Marco Zero Conteúdo, Ponte Jornalismo, Maré de Notícias, Aos Fatos, Énois, Agência Pública, Agência Mural de Jornalismo das Periferias, Projeto #Colabora, O Joio e O Trigo, Congresso em Foco, Revista AzMina, Nós, mulheres da periferia, Gênero e Número, Portal Catarinas, Eco Nordeste, Amazônia Real, Agência Saiba Mais, Site ((o)) eco.

Postagens nas redes, uso da hashtag #diadedoar e recomendações entre si das mídias pretendem motivar pessoas que diariamente se informam e arrecadar recursos para manter o trabalho destas organizações. Em um ano cheio de desafios com a pandemia de coronavírus, a importância do jornalismo se tornou evidente tanto para informar quanto para combater as Fake News. Além disso, o ato solidário mostrou sua força na sociedade batendo recordes em 2020.

A campanha abraça uma causa conjunta: a democracia. Colaborar e doar para o jornalismo significa também defendê-la. Com narrativas plurais, cada um destes veículos prezam pela liberdade de imprensa, que garante o amplo acesso à informação e a fiscalização do poder público. A contribuição à democracia está nas denúncias de injustiças, nos fatos, na representatividade e diversidade ao retratar a realidade brasileira em diferentes regiões do país.

Informações para doação:

Marco Zero Conteúdo

A Marco Zero Conteúdo é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada em 2015 e que tem por objetivo qualificar o debate público promovendo o jornalismo investigativo e independente. Entre os principais eixos de atuação estão os direitos humanos, a democracia, questões de gênero e identitárias além dos temas relacionados ao direito à cidade, como a mobilidade urbana, e à ocupação econômica, social e cultural do território. É hora de assinar a Marco Zero: https://marcozero.org/assine/

Ponte Jornalismo

A Ponte Jornalismo é uma organização sem fins lucrativos que atua desde 2014 para defender os direitos humanos por meio do jornalismo. A Ponte nunca escondeu que tem lado: o das mulheres, das pessoas LGBTQI+, dos negros. Estamos do lado das quebradas, das periferias. Isso incomoda muita gente. Apoie nosso jornalismo combativo: https://ponte.org/tamojunto/

Énois

A Énois é um laboratório que trabalha para impulsionar diversidade e representatividade no jornalismo. Foi fundada em 2009 e em 2014, se tornou a primeira escola online de jornalismo no Brasil voltada ao público jovem. Em cursos presenciais, mais de 500 jovens das periferias se formaram em jornalismo e mais de 4 mil estudantes passaram pela Escola de Jornalismo online. Ao longo do tempo, esses jovens, por meio da Énois, produziram conteúdo em parceria com veículos de abrangência nacional. Você pode ajudar a Énois a produzir, em 2021, um documentário sobre coletivos de jornalismo que cobrem diferentes periferias no estado de São Paulo! Para isso, basta doar uma parte do seu imposto de renda: bit.ly/apoieaenois

Congresso em Foco

O Congresso em Foco é um veículo jornalístico que faz uma cobertura apartidária do Congresso Nacional e dos principais fatos políticos com o objetivo de auxiliar o (e)leitor a acompanhar o desempenho dos representantes eleitos. Circulamos pelos bastidores de Brasília com o compromisso de trazer informação de qualidade sobre as decisões dos políticos que impactam o seu dia a dia. Colabore com o Congresso em Foco: https://www.catarse.me/congressoemfoco

#Colabora

O #Colabora é um projeto jornalístico, sem fins lucrativos, que aposta numa visão de sustentabilidade que vai muito além do meio ambiente. Educação, saúde, desigualdade, saneamento, diversidade e consumo também são alguns dos nossos temas. Acreditamos que o planeta só será sustentável se conseguir resolver, além dos problemas ambientais, suas mazelas sociais. Queremos seguir apostando em grandes reportagens, mostrando o Brasil invisível, que se esconde atrás de suas mazelas. Contamos com você para continuar investindo em jornalismo independente e de qualidade. Apoie o #Colabora: www.catarse.me/colabora ou www.projetocolabora.com.br/colabora-com-a-gente/

Agência Pública

A Agência Pública foi fundada em 2011 por jornalistas mulheres e tem como missão produzir reportagens de fôlego pautadas pelo interesse público, sobre as grandes questões do país do ponto de vista da população – visando o fortalecimento do direito à informação, à qualificação do debate democrático e a promoção dos direitos humanos. Em 2019, nossas reportagens foram reproduzidas por mais de 1000 veículos, sob a licença creative commons. A Pública também atua para promover o jornalismo investigativo independente através de programas de mentoria para jovens jornalistas e bolsas de reportagem. A Agência Pública ganhou mais de 50 prêmios nacionais e internacionais, como o Prêmio Vladimir Herzog, Prêmio República e Prêmio Gabriel García Marquez. A democracia precisa da Pública, e a Pública precisa de você. Doando a partir de R$10 por mês, você financia o jornalismo sério e corajoso, que qualifica o debate público e combate a barbárie. Faça parte dessa luta. Seja Aliado da Pública: https://aliados.apublica.org/

Agência Mural de Jornalismo das Periferias

A Agência Mural de Jornalismo das Periferias tem como missão minimizar as lacunas de informação e contribuir para a desconstrução de estereótipos sobre as periferias da Grande São Paulo, por meio de uma rede de quase 70 correspondentes locais. A Mural foi oficialmente fundada em 2018, como uma associação sem fins lucrativos. No entanto, seu nascimento foi em 2010, com o blog de notícias das periferias de São Paulo, com um esforço coletivo de cerca de 20 jornalistas. Com o tempo, novos espaços, parcerias e projetos surgiram, sempre com o propósito de informar e mostrar as diversas faces das periferias de São Paulo, com a produção de um jornalismo local de qualidade. Doe para a Mural: https://www.catarse.me/periferias

Agência Amazônia Real

A agência de jornalismo independente e investigativo Amazônia Real é uma organização sem fins lucrativos, criada por jornalistas mulheres em 2013, em Manaus, no Amazonas. A cobertura jornalística prioriza povos indígenas, tradicionais, quilombolas, mulheres, refugiados e imigrantes, e defensores ambientais e de direitos humanos. O projeto pioneiro na região ganhou em 2019 o Prêmio Rei de Espanha de Meio de Comunicação de Maior Destaque da Ibero-América. A linha editorial da Amazônia Real é voltada à defesa da democratização da informação, da liberdade de expressão, da liberdade de imprensa, dos direitos humanos e dos valores da diversidade, equidade e igualdade. Para garantir a independência, a agência não recebe recursos públicos, não recebe recursos de pessoas físicas ou jurídicas envolvidas com crime ambiental, trabalho escravo, violação dos direitos humanos e violência contra a mulher e LGBTQIA+. É uma questão de coerência. Apoie a produção de reportagens investigativas de dentro da floresta amazônica para o mundo: https://www.catarse.me/amazoniareal

Maré de Notícias

O Maré de Notícias tem 10 anos de existência e nunca publicou tanto conteúdo original e teve tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo sério e rigoroso a favor dos direitos humanos, da igualdade social, da democracia e dos movimentos sociais. O momento político exige mais do nosso jornal e por isso pedimos sua ajuda. Seja um apoiador e ajude a investir num jornalismo comunitário periférico de muitos olhares e vozes. Este é o nosso compromisso com a Maré, maior complexo de favelas do Rio e com você: https://benfeitoria.com/redesdamarehttps://www.redesdamare.org.br/br/quemsomos/doeagora

Gênero e Número

A Gênero e Número produz e distribui jornalismo digital orientado por dados e análises sobre questões urgentes de gênero e raça, visando qualificar debates rumo à equidade. A partir de linguagem gráfica, conteúdo audiovisual, pesquisas, relatórios e reportagens multimídia alcançamos e informamos uma audiência interessada no assunto. Realizamos uma cobertura intensa de temas relevantes para os direitos das mulheres, das pessoas LGBT+ e toda a produção está disponível na plataforma online e gratuita. Neste ano, realizamos a terceira pesquisa da Gênero e Número, “Sem Parar: o trabalho e a vida das mulheres na pandemia”, com dados que repercute na mídia de todo o país, revelando as desigualdades e desafios entre mulheres brancas e negras na pandemia. Precisamos do seu apoio para garantirmos nossa produção independente:
https://www.catarse.me/generonumero

Eco Nordeste

A Eco Nordeste é uma agência de conteúdo que trabalha há dois anos com o jornalismo independente voltado às questões socioambientais, com respeito à diversidade e promovendo a inclusão. Procura dar protagonismo a pautas que costumam ser relegadas a segundo plano nas grandes mídias, a juventude, o feminino, as culturas indígena, quilombola, cigana, dos povos sertanejos, serranos e litorâneos, bem como o empreendedorismo responsável e as tecnologias sociais que propiciam a convivência com adversidades climáticas da região. Seu conteúdo é e sempre será de acesso livre, gratuito e de livre reprodução. Apoie e incentive o jornalismo socioambiental livre que dá visibilidade ao Nordeste de verdade, para além dos estereótipos: https://agenciaeconordeste.com.br/seja-um-apoiador-eco-nordeste/

Portal Catarinas

Lançado por meio de financiamento colaborativo em 2016, Catarinas é um portal de jornalismo voltado às pautas de gênero, feminismos e direitos humanos formado exclusivamente por mulheres, jornalistas e comunicadoras. Ao longo desses 4 anos de existência, temos construído narrativas jornalísticas que contribuem para a defesa da vida de mulheres negras, indígenas, periféricas e LBT’s. Só neste ano de 2020, monitoramos a violência doméstica em contexto de isolamento social devido à pandemia; visibilizamos as mortes de jovens, majoritariamente negros, pela polícia militar nos morros de Florianópolis (colaborando com o movimento de denúncia de suas mães); expusemos os desafios para o aborto legal no Brasil, bem como mapeamos os serviços de abortamento e denunciamos o retrocesso das políticas públicas de saúde da mulher no governo Bolsonaro. Catarinas é uma organização sem fins lucrativos sediada na capital de Santa Catarina, estado mais conservador e branco do país, que ocupa posições de liderança em registros de violência contra as mulheres e em apoio bolsonarista. Queremos continuar nosso trabalho de jornalismo posicionado, crítico à ideologia dominante, que articula o engajamento feminista e antirracista na construção de narrativas jornalísticas. Para isso, é fundamental o seu apoio! Apoie nosso trabalho colaborativo e independente aqui: www.catarse.me/catarinas

O Joio e O Trigo

O Joio e O Trigo é o primeiro projeto de jornalismo brasileiro dedicado a investigar exclusivamente sobre sistemas alimentares, saúde e doenças crônicas. Criada em 2017, a organização tem como filosofia revelar informações sobre estratégias corporativas que afetam o direito à saúde e à alimentação adequada. Além de publicar reportagens na página própria e em parceria com outros veículos, mantém um podcast, Prato Cheio, e uma rede de repórteres latino-americanos reunidos em Bocado – investigações comestíveis. Comer direito é um direito. Apoie O Joio e O Trigo, projeto que investiga a real sobre tudo o que está no seu prato: https://ojoioeotrigo.com.br/contribua/

Nós, mulheres da periferia

O Nós, mulheres da periferia é uma organização de jornalismo liderada por mulheres negras e periféricas. Nossa produção de conteúdo é multimídia e tem como recorte a intersecção entre gênero, classe, raça e território.

Com atuação desde 2014, temos como propósito produzir jornalismo próximo, humano e de profundidade, acreditamos na potência dos conteúdos pensados e executados por mulheres. Nossas fontes prioritárias são as mulheres negras e moradoras das periferias. Quer ver mais mulheres pretas e periféricas contando as próprias histórias? Doe para Nós, mulheres da periferia: http://nosmulheresdaperiferia.com.br/doe/

Aos Fatos

Aos Fatos é um site de checagem de fatos com sede no Rio de Janeiro. Além de verificar boatos, acompanhamos declarações de políticos e demais autoridades de expressão nacional, de diversas colorações partidárias, de modo a verificar se eles estão falando a verdade. Durante a pandemia, estamos concentrados em checar boatos sobre a Covid-19 que viralizam nas redes sociais. Apoie o Aos Fatos. Valorize o que é real: https://www.aosfatos.org/mais/

AzMina

Usamos jornalismo, tecnologia e educação para combater a violência de gênero e monitorar os direitos das mulheres. Doe para AzMina: https://www.catarse.me/azmina

((o)) eco

Criado em 2004, ((o))eco é um site de notícias ambientais sem fins lucrativos que faz do meio ambiente sua manchete há 16 anos ininterruptos. ((o))eco acompanha de perto o desmatamento, as pesquisas e descobertas científicas, a política e legislação ambiental, as unidades de conservação, a fauna e flora, a proteção e a destruição dos ecossistemas. Apoie nosso trabalho e ajude na defesa do meio ambiente: https://www.catarse.me/oeco?ref=adinserter

Saiba Mais

A agência Saiba Mais é a primeira agência de reportagem e jornalismo independente do Rio Grande do Norte. Fundada em 2017, somos um coletivo de profissionais de comunicação pautado pela defesa dos Direitos Humanos, das Liberdades Individuais e da Democracia. Contra os coronéis da mídia potiguar, o jornalismo independente da agência Saiba Mais. Jornalismo tem lado: qual é o seu ? Apoie o jornalismo que representa você. Na dúvida, Saiba Mais: https://www.saibamais.jor.br/assine/