Foto: Lucas Lima/ SES-PE

Pela terceira semana consecutiva, Pernambuco tem aumento dos indicadores de doenças respiratórias, especialmente motivado pelo avanço da H3N2. A epidemia de influenza em meio à pandemia de covid-19, com alta circulação da ômicron no mundo, voltou a pressionar o sistema de saúde. Nesta quarta-feira, 5 de janeiro, a rede pública no estado bateu 80% de ocupação de UTIs, retornando ao nível de junho de 2021.  

Em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (6), o secretário estadual de Saúde, André Longo, voltou a criticar a população e cobrar mais responsabilidade e rigor nas medidas sanitárias individuais, como uso de máscara, evitar aglomerações, lavar as mãos e se auto isolar em caso de sintomas gripais, mesmo que leves. 

O governo, no entanto, ainda não anunciou qualquer retorno às restrições de atividades econômicas ou festas privadas de carnaval. Longo voltou a dizer que a gestão só irá falar sobre o carnaval na segunda quinzena de janeiro. A maioria das prefeituras, incluindo Recife e Olinda, anunciou, nesta quarta (5), que não haverá festejos de rua. 

O governo ainda precisa definir também se, não havendo carnaval, haverá feriado e como será o formato das festas.

No Ceará, o governador Camilo Santana (PT) já anunciou restrições, suspendendo todas as festas de carnaval e pré-carnaval e reduzindo a capacidade de casamentos, formaturas, aniversários e eventos corporativos por 30 dias, com limite de 250 pessoas em ambientes fechados e 500 pessoas em ambientes abertos.

Nesta sexta (7), o governador Paulo Câmara (PSB) se reúne com prefeitos para alinhar informações e ações por conta da alta dos casos de doenças respiratórias no estado. Ele irá discutir as demandas das cidades e reforçar a necessidade de as prefeituras atualizarem seus planos de contingência.

Números

Na última semana epidemiológica de 2021 (semana 52), Pernambuco viveu uma aceleração muito forte dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), que dobraram em 15 dias e levaram as solicitações de leitos a triplicarem. Foram 939 casos de Srag, um crescimento 59% em uma semana e 156% em 15 dias. Foram contabilizadas 797 solicitações por leitos de UTI, um aumento de 80% em uma semana e de 204% em 15 dias.

Os idosos estão ocupando 64% dos leitos destinados a casos respiratórios na rede pública. A população acima dos 60 anos corresponde a 67% de todos os casos graves confirmados da H3N2 e 60% das mortes pela doença. 

Desde o Natal, o governo de Pernambuco já abriu mais 378 novos leitos para Srag, sendo 150 de UTI. Agora o estado totaliza 1.701 vagas em leitos na rede de doenças respiratórias, sendo 957 de UTI. Somente nesta quarta, 5, 196 pessoas foram internadas. “Estamos no limite da circulação de ambulâncias”, informou Longo.

Seja mais que um leitor da Marco Zero…

A Marco Zero acredita que compartilhar informações de qualidade tem o poder de transformar a vida das pessoas. Por isso, produzimos um conteúdo jornalístico de interesse público e comprometido com a defesa dos direitos humanos. Tudo feito de forma independente.

E para manter a nossa independência editorial, não recebemos dinheiro de governos, empresas públicas ou privadas. Por isso, dependemos de você, leitor e leitora, para continuar o nosso trabalho e torná-lo sustentável.

Ao contribuir com a Marco Zero, além de nos ajudar a produzir mais reportagens de qualidade, você estará possibilitando que outras pessoas tenham acesso gratuito ao nosso conteúdo.

Em uma época de tanta desinformação e ataques aos direitos humanos, nunca foi tão importante apoiar o jornalismo independente.

É hora de assinar a Marco Zero