Deputadas eleitas participam de debate sobre feminicídio no Cabo

0

adalgisasaberturaO combate ao feminicídio – o ato de matar uma mulher pela sua condição de gênero – foi um tema bastante presente na campanha eleitoral. Passada as eleições, é hora de compartilhar dados e se engajar sobre como será feito esse enfrentamento. Para fomentar essa ponte, o Centro das Mulheres do Cabo promove hoje (22), a partir das 14h, o encontro “Feminicídio – uma questão de política pública”.

Participam do evento as deputadas estaduais eleitas Gleide Ângelo (PSB), que foi a mais votada da história de Pernambuco, Juntas (PSOL), primeiro mandato coletivo do estado, e a deputada reeleita Tereza Leitão (PT).

O encontro vai contar também com duas jornalistas da série #Uma Por Uma, do Sistema Jornal do Commercio, que irão apresentar dados das reportagens produzidas neste ano sobre os crimes de feminicídio em Pernambuco. Já as futuras deputadas vão receber esses dados e irão apresentar e debater suas propostas para enfrentamento da violência de gênero.

No Brasil, uma mulher é assassinada a cada duas horas, taxa de 4,3 mortes para cada grupo de 100 mil pessoas do sexo feminino. Mas há um importante fator racial: entre as mulheres negras a taxa de homicídio ficou em 5,3 por grupo de 100 mil, enquanto entre as não negras (brancas, amarelas e indígenas) a taxa foi de 3,1, uma diferença de 71%.

Os dados são do Atlas da Violência de 2016. E, quando comparados com os dados de 2006, revelam que nos últimos 10 anos a taxa de homicídios de mulheres brancas, indígenas e amarelas diminuiu 8%. No mesmo período, no entanto, a taxa de homicídio das mulheres negras aumentou 15%.

Dezesseis dias de ativismo

No encontro, será empossado o Comitê do Feminicídio de Jaboatão dos Guararapes. A atividade integra a Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher, que acontece em vários países do mundo.

A campanha foi criada em 1991, como uma homenagem às irmãs Pátria, Minerva e Maria Teresa Mirabal, que foram mortas em 1960 por participarem da oposição ao regime do ditador da República Dominicana, Rafael Trujillo. Desde 2003 organizações civis e governamentais integram a campanha no Brasil.

O encontro desta quinta-feira é promovido pelo Centro das Mulheres do Cabo (CMC), em parceria com o Comitê de Monitoramento da Violência e do Feminicídio no Território Estratégico de Suape (COMFEM), que corresponde às cidades do Cabo, Ipojuca, Jaboatão, Moreno, Escada, Ribeirão, Rio Formoso e Tamandaré.

Não é preciso fazer inscrição para participar do evento, que acontece no Sindicato dos Professores do Cabo (SINPC), que fica localizado na Avenida Historiador Israel Felipe, 196, no Jardim Santo Inácio, Cabo de Santo Agostinho, ao lado do Recanto da Criança.

Serviço
Encontro “Feminicídio – uma Questão de Políticas Públicas”
Onde: SINPC, na Avenida Historiador Israel Felipe, Nº 196 Jardim Santo Inácio, Cabo de Santo Agostinho, ao lado do Recanto da Criança.
Quando: Quinta-feira (22), às 14h

Compartilhe:

Sobre o autor

Deixe um comentário